Estudio Nalíni: Técnica, cultura e filosofia de Yoga

Criar um Site Grátis Fantástico

Massagens

Massagens

 

 Além de se utilizar de alimentação adequada, fitoterapia, yoga e outras técnicas, a massagem é uma das principais técnicas utilizada pelos médicos e terapeutas ayurvédicos, por ser de baixo custo e fácil aplicação. Surgida na cultura dos Vedas (antiga etnia indiana), não é apenas uma das mais antigas e sim uma das mais completas técnicas naturais para restabelecer o equilíbrio físico e psíquico. Trata-se de uma massagem profundamente relaxante, atuando no campo físico e energético, tendo a função de purificação e manutenção da saúde corporal. Tem como objetivo restaurar o bem-estar físico, mental, energético e emocional.

A massagem ayurvédica age nos sistemas: linfático (desintoxicando o organismo), circulatório (aumentando a produção de glóbulos brancos e a nutrição e oxigenação celular) e energético (reequilibrando o chakra e atuando nos sete corpos - desfazendo bloqueios emocionais). Dessa forma contribuindo na cura das principais doenças.
É importante ressaltar que, para uma massagem ser ayurvédica, deve levar em consideração os doshas do paciente, seus desequilíbrios e suas características. É uma prática individualizada, específica para cada tipo de pessoa. Não existe apenas uma técnica de massagem na Ayurveda, mas sim diversas delas, que são feitas com óleos essenciais medicados, de acordo com o dosha do indivíduo.
Alegadamente fortalece o sistema imunológico aumentando a quantidade de glóbulos brancos e desintoxica o organismo, mas não existem evidências.
É indicada como um dos tratamentos para quase todas as doenças, principalmente: dependência química, alergias, estresse, estafa, fadiga, depressão, fibromialgia, bloqueios emocionais, problemas musculares e de coluna, lembrando que na Ayurveda não se trata a enfermidade, mas sim o indivíduo. Deve ser ministrada com cuidado em gestantes.
Reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) a massagem ayurvédica é utilizada por quase toda população da Índia e está sendo amplamente divulgada no mundo.
Benefícios proporcionados pelo tratamento com a massagem ayurvédica: Rejuvenescimento (melhora na pele), realinhamento das estruturas óssea e muscular, aumento da auto-consciência, fortalecimento do sistema imunológico, aceleração da circulação linfática e conseqüente desintoxicação do organismo; eliminação de bloqueios, prevenção de doenças, aumento de flexibilidade, reequilíbrio dos chakras, atuação nos sete corpos sutis, maior mobilidade das articulações e possibilita uma vida mais harmoniosa e feliz.
Massagem ayurvédica Tradicional
A Massagem Ayurvédica é reconhecida pela sua eficácia no fortalecimento do sistema imunológico e na desintoxicação do organismo. Actua tanto ao nível do relaxamento e bem-estar geral como a um nível mais terapêutico. O domínio desta técnica de massagem aliado aos conhecimentos relativos ao sistema médico ayurvédico como um todo, com especial incidência na utilização de óleos essenciais, reconhecidos pela sua eficácia terapêutica.
É um método de tratamento corporal auxiliado por óleo e pós especiais, que libertam as toxinas do corpo presas aos músculos e tecidos objectivando a manutenção e o equilíbrio corporal.
Nesta massagem o objectivo é actuar ajustando o líquido intercelular do corpo orgânico que denominamos Linfa para estabelecer o equilíbrio eléctrico e químico entre os diferentes sistemas dos órgãos, permitindo que os mesmos possam funcionar adequadamente. 
Alia-se à massagem diversas formas de toques juntamente com manobras e pressões em determinados pontos, que liberam a energia vital o Ki ou o Chi bloqueadas e estagnadas, que impedem o indivíduo de ter um equilíbrio físico e emocional.
A massagem Ayur-Védica, pode ser aplicada em qualquer pessoa de qualquer idade (desde que seja adaptada para cada pessoa de forma adequada e de acordo com sua situação física, mental e espiritual).
Tem como únicas contra-indicações pessoas com febre alta, vómitos, em coma, pacientes terminais, portadores de Sida, Cancro e mulheres grávidas. Normalmente as pessoas que recebem sessões de Massagem Ayurvédica, experimentam uma grande sensação de bem estar, relaxamento, tranquilidade, sono profundo e um novo ânimo.
A Ayur-Védica é indicada ainda para vários outros casos, tais como: dores musculares, enxaquecas, dores reumáticas, problemas de coluna, má postura, fortalecimento do sistema imunológico, stress, depressões, Síndrome do Pânico, etc.
Como resultado dos tratamentos ayur-védicos muitas pessoas relatam que após receberem uma observam que seus olhos passaram a ter mais brilho, sua pele ficou mais limpa, mais luminosa, enfim, que uma nova luz passou a brilhar em todo o seu ser. Isto é exatamente verdadeiro.
Quando a energia natural de cada ser tem a liberdade de fluir naturalmente, exatamente como deve ser, a pessoa experiência reações luminosas em todo o seu corpo, facto que promove alegria, prazer e beleza. 
Assim concluímos que não é necessário que exista algum sintoma de doença propriamente dito para recorrermos a um tratamento ayur-védico.
 
A utilização de um tipo de óleo vegetal durante a realização da massagem faz com que se obtenha melhores resultados. Normalmente os médicos ayurvédicos utilizam óleos especiais para tratar as enfermidades causadas por um transtorno de vata (ar) e diversos tipos de infecções cutâneas. O óleo é um nutriente para a pele, já que contém proteínas, carboidratos e outros componentes essenciais que são absorvidos através das aberturas dos folículos do cabelo e assimilados pelo bharajaka pitta. Os folículos conectam-se com as fibras nervosas que são fortalecidas pelo azeite. 
O azeite previne a secura da pele, aumenta a sua flexibilidade e evita muitos dos efeitos do envelhecimento prematuro. Suaviza a pele, elimina as escoriações, dispersa o calor de modo uniforme em todo o corpo e proporciona brilho à pele. A pequena quantidade de óleo que permanece no corpo depois da massagem e o duche ou o banho que se toma conferem resistência frente às trocas extremas de temperatura e de pressão do ambiente exterior. Se se aplica azeite no umbigo antes de dormir, elimina-se a secura de todo o corpo.
Quando se aplica óleo numa articulação da coluna e no crânio, normalmente o sistema nervoso acalma-se, a memória é fortalecida e a vista melhora. Na Índia é comum receber massagens com a utilização de um tipo de óleo. Os terapeutas ayurvédicos acreditam que se fizerem uma massagem sem óleo, a seco, a fricção criada gera calor e dor e perturba o elemento Vata e, como consequência, os gases do organismo. No entanto, é possível dar toques mais profundos, comprimir, amassar e pressionar com suavidade (incluindo-se a pressão com força) prescindindo-se do óleo sem experimentar efeitos negativos. 
Quando o objetivo é eliminar o cansaço, o stress, o nervosismo, o desassossego e a ansiedade, isto pode ser tão vantajoso como uma massagem com óleo. Contudo, não fortalece os nervos nem a pele e tão pouco elimina a secura da pele. Na Índia, costuma-se aplicar óleo regularmente no corpo para evitar picadas de insetos; nos órgãos genitais, para prevenir as infecções; no nariz, com o fim de evitar a sequidão; nos olhos, para limpá-los e fortalecê-los; nas orelhas, para limpá-las, e no umbigo, para curar a sequidão de todo o corpo e apaziguar o fogo do aparelho digestivo. 
Na Ayur-Védica dá-se muita importância ao umbigo porque é através dele que uma rede de setenta e dois nervos subtis (os nadis), se conectam com o resto do corpo. O umbigo é também a primeira fonte de nutrição e de vida para o feto. O corpo, tal como uma máquina, necessita de óleo. O óleo é utilizado na cozinha devido à sua capacidade para distribuir uniformemente o calor. 
O Sushruta Samhita estabelece que as pessoas que sofrem de enfermidades derivadas de Vata (ar) devem adoptar as seguintes práticas: aplicar o sneha (lubrificante/óleo) na zona afectada, aplicar fomentos; untar todo o corpo com óleo; fazer purgas de óleo; fazer siro vasti, ou seja passar óleo na cabeça; inalação de vapores com óleo – neste processo se produzem vapores com óleos essenciais na água que se aquece constantemente, os quais deverão ser inalados para que a pessoa beneficie dos seus efeitos; fazer gargarejos com óleos mornos; utilizar agentes que produzam espirros. 
Recomenda-se ainda para as pessoas que padeçam de desordens de Vata que utilizem ghee ou manteiga clara e óleo de cozinha, consumam açafrão e cítricos, lavem-se com água temperada, recebam uma massagem suave, vistam-se com roupa de fibras naturais (algodão, seda, lã suave), vivam em habitações quentes, durmam em camas suaves, abstenham-se de sexo e aqueçam-se numa lareira. 
Indian head massage ou champi
Existem várias versões, ou interpretações da história da Indian Head Massage ou Champi, tal como é conhecida na Índia. Foi aliás esta palavra que deu origem á palavra Champô.
Existem várias versões, ou interpretações da história da Indian Head Massage ou Champi, tal como é conhecida na Índia. Foi aliás esta palavra que deu origem á palavra Champô.
No ocidente pode-se afirmar que só nas duas últimas 3 décadas é que foi introduzida e reconhecida, nomeadamente pelo trabalho do Indiano Narendra Mehta, um invisual com um sentido excepcional do toque, que no início dos anos 70 viajou para Inglaterra para se formar como fisioterapeuta. Em 1978 Mehta voltou para a Índia para investigar sobre as técnicas e benefícios das antigas tradições da Champi (ou Champissage, como lhe chamou). Ao voltar para Inglaterra, esquematizou esta massagem de acordo com o sistema ocidental, assumindo então o nome de Indian Head Massage.
Este impulso no ocidente deveu-se também em grande parte à sua divulgação pública por personalidades britânicas tais como a Princesa Diana, numa altura em que também a primeira-ministra Margareth Tachter assumiu ser fã da massagem ayurvédica tradicional.
Muitas empresas, especialmente britânicas, investiram numa série de estudos sobre a IHM, é já comum nas empresas existirem espaços próprios onde os terapeutas massajam os funcionários durante os coffe breaks.
Mas apesar do termo Indian Head Massage ser relativamente recente, a Champi é na verdade uma terapia utilizada á milhares de anos pelos nativos da Índia e faz parte da tradição Ayurvédica tanto na sua vertente estética como terapêutica. Quem já teve a oportunidade de viajar á Índia certamente que constatou como esta massagem é aplicada por todo o lado, incluindo nos homens quando vão ao cortar o cabelo ou apenas fazer a barba.
Como tradição, a Champi é aplicada entre as mulheres da família que trocam entre sí massagens á cabeça de forma a que os seus cabelos cresçam mais rapidamente, fortes e brilhantes. São utilizados para isso diversos óleos que mudam consoante as estações do ano e tipos de cabelo: amêndoas doces, coco, sésamo, mostarda. É também por vezes usado pó de talco. Na Índia, a massagem à cabeça é ainda aplicada desde a nascença na cabeça do bebé, com um algodão embebido em óleo.
Oitenta por cento da população da índia vive em vilas onde esta tradição ainda se mantém viva. Nas áreas rurais, as massagens de rotina são uma cena familiar comum em que todos fazem parte. Nas áreas mais urbanas, devido ao ritmo exigente das cidades, esta tradição têm-se de alguma forma desvanecido, mas de qualquer forma, nas grande cidades como Nova Deli, Bombaim, e Calcutá, podem-se ainda observar nas rua os massagistas, com um pequeno colchão e óleos a praticar a sua arte a troco de umas rupias. A antiga ciência da massagem indiana foi descrita por Valmiki, o primeiro poeta em sânscrito, no seu épico poema conhecido como Ramayana.
Na maioria dos centros Ayurvédicos, a massagem á cabeça faz parte da rotina da massagem geral, tendo vindo a ganhar uma identidade própria, sendo também já aplicada como terapia independente, com óleos medicados e ervas para tratamentos específicos.
BENEFICIOS DA INDIAN HEAD MASSAGE
* Aumenta a oxigenação e fornecimento de nutrientes ao cérebro.
* Através da massagem mantém-se um equilíbrio electroquímico biológico, com expressão na melhoria da saúde e longevidade.
* Relaxa o sistema nervoso e elimina a fadiga provocada pelas tensões e stress.
* Melhora a circulação e manutenção do fluido cerebrospinal.
* Aumenta a secreção das hormonas de crescimento e estimula o desenvolvimento das células do cérebro.
* Aumenta a circulação do prana, dentro do cérebro, pressionando e estimulando os músculos. As toxinas acumuladas são mais facilmente libertas do organismo, e em troca as células são alimentadas com nutrientes e prana. O sistema imunitário é estimulado, aumentando a estamina, vitalidade e virilidade.
* Retarda a queda do cabelo, calvície e branqueamento do cabelo através de uma estimulação da circulação dos folículos capilares.
* A massagem em geral, e a massagem á cabeça em particular, são um mecanismo eficaz para induzir o sono.
* Estimula a produção de Triptofano, um aminoácido que dá origem á Melatonina e Serotonina, associadas ás sensações de prazer e bem estar. 
Os textos acima foram retirado do web site da ALBA - Associação Luso-Brasileira de Ayurvédicas e Terapias Associadas - www.ayurvedica.org